Nasce o 1º bebê na nova maternidade do Hospital Estadual Botucatu

Nasce o 1º bebê na nova maternidade do Hospital Estadual Botucatu

 

Na noite desta terça-feira (11), nasceu de parto natural, com 3.795 kg e 50 centímetros, pelas mãos de uma enfermeira obstetra, o primeiro bebê nascido na nova maternidade do Hospital Estadual Botucatu (HEBo). O recém-chegado cidadão botucatuense nasceu um dia após a inauguração do serviço.

Daniela Cristina Diniz da Silva, auxiliar de limpeza, e Jefferson Henrique Pires da Silva, metalúrgico, pais da criança, foram os primeiros a receber o acolhimento da equipe do novo serviço, e aprovaram o atendimento feito por uma equipe multiprofissional.

O bebê também passou, na própria maternidade, pelo famoso “teste da orelhinha”, conduzido pela equipe de Fonoaudiologia do HCFMB.  O exame é capaz de detectar bem precocemente alguns problemas auditivos em bebês.

“Achei uma maravilha. Parece que estou em um hospital particular. É tudo muito limpo e organizado. A equipe é muito atenciosa, nunca me deixam sozinha. Até massagem recebi durante o parto”, conta Daniela, que deu à luz ao quarto filho. Ela ainda garante que já conversou com uma prima que está grávida e recomendou que, se for possível, seu parto também seja na maternidade do HEBo.

Sobre a maternidade do HEBo

O HEBo possui, no total, 80 leitos instalados. Entre eles, estão os 20 novos abertos para atendimento a gestantes de menor complexidade. A estimativa é que o serviço realize cerca de 120 partos mensalmente.

A medida contribui para a otimização aproximada de 60% da maternidade do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), que continua a ser uma referência regional para gestação de alto risco, com seus 29 leitos SUS. Lá, são realizados cerca de 200 partos por mês.

Com foco no aprimoramento da alta complexidade, o Governo do Estado também está investindo R$ 1,7 milhão para ampliação da UTI neonatal do HCFMB. Com a reforma em andamento, o setor passará a ter 20 leitos, um aumento 33% da capacidade instalada. A UTI neo é referência no atendimento aos recém-nascidos em situação clínica grave, que recebem atendimento especializado desde o momento do parto até a alta hospitalar.

Para o superintendente do HCFMB, Dr André Balbi, a medida vai beneficiar as gestantes de baixo risco, fornecendo a elas um atendimento com dignidade e eficiência. “É uma conquista que chega próximo ao Natal como um presente. Esta maternidade mostra que estamos no caminho certo, buscando parcerias e contando com o apoio de todos”, destaca.

“Aqui serão atendidas as gestantes de baixo risco, deixando para o HC os casos de alta complexidade. É assim que deve ser o atendimento público às gestantes. Será um importante reforço para a assistência”, declara secretário adjunto de Estado da Saúde de São Paulo, Antonio Rugolo Junior.

COMENTÁRIOS