Nutricionista dá dicas para acertar nas ceias de Natal e Réveillon

Nutricionista dá dicas para acertar nas ceias de Natal e Réveillon

O Natal e o Réveillon são marcados pelas tradicionais ceias com familiares e amigos. Porém, no meio de toda a confraternização, muitos se esquecem de tomar certos cuidados, que vão desde a escolha dos alimentos até o preparo das receitas. Além disso, é importante manter uma refeição saudável e equilibrada nessa época do ano. Sem deixar de ser gostosa, é claro.

Selecionar receitas saudáveis para a ceia é fundamental. Não economize em saladas. A estação favorece também várias opções de frutas leves e refrescantes, como pêssego, ameixa vermelha, kiwi e manga. As  carnes brancas  são mais tradicionais nesta época do ano, porém, mesmo sendo mais leves, merecem certos cuidados. “No caso de aves, como o tradicional peru de Natal, o ideal é retirar a pele, que tem uma grande quantidade de gordura, e assá-las com pouca quantidade de óleo”, explica Vanessa Maniezo, Gerente de Nutrição do Hospital Pirajussara.

Como um grande número de pessoas costuma se reunir neste período, preparando um tipo de alimento para a ceia, o resultado é uma mesa cheia e pessoas comendo demais.

“Alguns alimentos gordurosos e doces, que compõem a ceia de Natal, podem dificultar a digestão, provocando mal-estar, flatulência e sonolência. O ideal é dar preferência para carnes mais magras, como o peito de chester, por exemplo, e evitar molhos muito gordurosos e frituras, além do bacon na farofa. As sobremesas podem ser compostas de saladas de frutas ou doces não muito gordurosos”, afirma a nutricionista Lara Natacci.

Qualquer alimento, se preparado sem higiene ou mal conservado, pode causar intoxicações alimentares. Para prevenir a contaminação é importante cozinhar adequadamente os alimentos, evitando carnes malpassadas. A nutricionista Etelma Mendes Rosa esclarece que os alimentos mal cozidos ou deixados destampados por várias horas podem ser contaminados pela bactéria.

“Os sintomas da infecção por salmonela normalmente surgem após a ingestão de alimentos contaminados com fezes, como ovos ou carne mal cozida”, explica.

Outra dica para evitar a contaminação cruzada é não usar a mesma tábua de corte para o preparo de mais de um tipo de alimento, evitar o cruzamento de alimentos crus com alimentos cozidos e manter a higiene do local de preparo de alimentos, bem como de utensílios e equipamentos.

A dona de casa Fátima da Silva conta que sempre toma cuidado na higiene dos produtos para evitar a contaminação. “Lavo bem a salada e nunca deixo os alimentos fora da geladeira por um grande período. Temos que tomar cuidado, pois muita gente vem visitar a família e nós queremos uma ceia gostosa e sem problemas”, afirma.

Confira abaixo o resumo das dicas para as ceias de Natal e Ano Novo

– Planeje o cardápio da ceia que deseja servir, listando todos os ingredientes que pretende utilizar. Isso evita compras desnecessárias.

– Não se esqueça de lavar as mãos antes de tocar nos alimentos.

– Descongele alimentos dentro da geladeira e jamais em temperatura ambiente.

– Lave ou limpe as embalagens antes de abri-las.

– Higienize o local (pias, bancadas) de preparo dos alimentos.

– Lave frutas e verduras com água potável e de preferência higienize em solução de água sanitária (1 litro água para uma colher sopa água sanitária). Lembrando que vinagre ajuda a desprender sujeira, não mata os microrganismos.

– Não misture alimentos de origens diferentes na mesma área de trabalho (carnes e verduras; carnes já cozidas com carnes cruas; carne vermelha com carne branca).

– Não usar o mesmo utensílio durante a preparação de diferentes alimentos.

– Cozinhar, assar ou fritar muito bem os alimentos a serem consumidos.

– Evitar pratos à base de claras e gemas cruas.

– Atenção à organização do freezer e da geladeira. Não se deve enchê-los demais, pois a quantidade excessiva de alimentos e bebidas impede que a circulação do ar aconteça, não refrigerando adequadamente as preparações.

– Para ser servido com segurança, não basta apenas aquecer. A temperatura ideal é quando você não consegue tocar no alimento.

COMENTÁRIOS