O cardápio ideal para quem tem hipertensão

O cardápio ideal para quem tem hipertensão

 

Alguns problemas de saúde podem restringir o consumo de alguns alimentos. É o caso da hipertensão. Mas conviver com essa doença não significa comer mal. A doença arterial pode ser controlada com uma alimentação equilibrada e gostosa.

Haja vista que o recomendado para uma pessoa com hipertensão é consumir 2 gramas de sal por dia, é possível dividir essa porção entre 1 grama no almoço e 1 grama no jantar. Para quem cozinha, por exemplo, é interessante fazer o preparo da refeição sem sal, e só adicionar no prato na hora de comer. A recomendação vem da nutricionista Karin Klack, da Divisão de Nutrição e Dietética do Instituto Central do Hospital das Clínicas da FMUSP.

“Mas não podemos esquecer que o sódio está presente em uma série de alimentos, como os enlatados (milho, ervilha e molho de tomate), os embutidos (linguiça, salsicha, salame, presunto e mortadela). Deve haver muita moderação no consumo destes alimentos”, comenta Karin.

A falta de sal pode significar falta de sabor, mas há truques para substituí-lo, sem você sentir falta. No preparo das refeições capriche em temperos naturais, como ervas, alho, cebola, limão e vinagre, por exemplo.

Leia sempre os rótulos

Alguns alimentos parecem inofensivos, mas podem oferecer altos níveis de sódio. É o caso dos queijos, temperos prontos, manteigas e margarinas e o macarrão instantâneo. Karin recomenda ler a rotulagem para ver a quantidade de sódio presente e trocar, sempre que estiver disponível, por alimentos em versões sem sal.

Além dos cuidados necessários, é preciso se preocupar com o peso. Manter um peso adequado com sua altura e idade contribui bastante para reduzir a hipertensão.

A união de uma boa alimentação com exercícios

Manter exercícios físicos regulares é importante para não chegar ao sobrepeso e é também uma forma de incentivo para incluir uma alimentação saudável em sua dieta.

“É possível carimbar sair do sedentarismo e se prevenir contra a hipertensão reservando 30 minutos de seu dia para atividades físicas”, recomenda Victor Matsudo, diretor-científico do CELAFICS (Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul). “Esse tempo pode ser distribuído ao longo do dia. Por exemplo, vá almoçar ou à padaria andando em um ritmo moderado”.

COMENTÁRIOS