Oftalmologia do Hospital de Clínicas da Unicamp ganha maior prêmio mundial de prevenção à cegueira

Oftalmologia do Hospital de Clínicas da Unicamp ganha maior prêmio mundial de prevenção à cegueira

Referência nacional em cirurgias e atendimentos ambulatoriais há mais de 30 anos, o Serviço de Oftalmologia do Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) ganha maior prêmio mundial de prevenção à cegueira. 

Em 13 anos de existência, é a primeira vez que o prêmio é oferecido para instituições da América Latina. O trabalho desenvolvido pela Unicamp foi contemplado com o Prêmio António Champalimaud de Visão 2019, concedido pela fundação portuguesa de mesmo nome. 

Uma parte da equipe de médicos envolvidos no serviço participou da cerimônia de premiação na última quarta-feira (4), em Lisboa, Portugal. O prêmio de um milhão de euros foi dividido com outras duas instituições brasileiras:  o Instituto Altino Ventura, no Recife, e o Instituto Paulista de Estudos e Pesquisas em Oftalmologia (Ipepo), sediado em São Paulo. 

A área já traçou o destino para investir o valor da premiação internacional. “Planejamos a criação de uma unidade só voltada para a oftalmologia, o nosso Instituto da Visão. O prêmio vem para uma conta da universidade, que será administrado em conjunto entre a Unicamp e nossa área. Esperamos, com isso, dar os primeiros passos rumo à construção dessa unidade”, explica à TV Unicamp Denise Fornazari de Oliveira, chefe do ambulatório de oftalmologia do HC da Unicamp. 

O serviço abrange de 90 cidades, englobando uma população de quase 5 milhões de pessoas. Uma das principais iniciativas é o Projeto Catarata, que começou na década de 1980 e se expandiu para diversos países como modelo de atendimento. 

“Apenas em residentes, somos 35, fora os estagiários e toda a equipe que trabalha. São muitas pessoas atendendo ao mesmo tempo. Trata-se de um trabalho estruturado, no qual conseguimos dar vazão”, salienta Rosane Castro, médica do Serviço de Oftalmologia do HC, à TV Unicamp. 

Centenas de pessoas de diversos Estados do Brasil passam por atendimentos de oftalmologia diariamente no HC da Unicamp. Cerca de mil atendimentos diários ligados a urgências e à prevenção à cegueira são realizados no ambulatório do Serviço de Oftalmologia, em que atuam médicos, residentes e enfermeiros. 

O médico Carlos Eduardo Arieta, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, acompanhou a fundação do serviço e destacou os desafios da iniciativa. “Nossa preocupação inicial era ensinar ao médico o que é oftalmologia, mas, ao mesmo tempo, podemos mostrar o que um hospital universitário pode fazer pela sua comunidade. Percebemos que esse prémio pode dar a oportunidade para crescermos com estrutura adequada”, enfatiza o docente à TV Unicamp. 

O paciente Eurides Bubula, de Hortolândia, interior de São Paulo, se prepara para uma cirurgia no HC em razão de um deslocamento de retina. “O tratamento, desde o primeiro dia que vim aqui, está ótimo. Fui sempre bem atendido”, diz o paciente à TV Unicamp. 

Para cuidar de uma lesão por uso inadequado de lentes de contato, Joice Silva, de Minas Gerais, viaja duas vezes por semana para realizar o tratamento. “Estou fazendo o tratamento há um mês e meio, mas estou bem melhor. A visão do olho direito já está voltando e o esquerdo está começando a melhorar”, conta à TV Unicamp a paciente. 

De acordo com a fundação, o Prêmio Champalimaud de Visão 2019 reconhece o excelente trabalho das instituições vencedoras, com profissionais e voluntários que trabalharam muitas vezes com risco pessoal, mostrando extrema coragem para trazer luz àqueles que não podem ver. 

 

COMENTÁRIOS