Pacientes do Instituto do Câncer de São Paulo remam juntas para celebrar a vida no II Festival Paulista de Remadoras Rosas

Pacientes do Instituto do Câncer de São Paulo remam juntas para celebrar a vida no II Festival Paulista de Remadoras Rosas

Neste domingo (13) cerca de 150 mulheres remarão juntas para celebrar a vida no II Festival Paulista de Remadoras Rosas, que acontece na raia olímpica da USP (Av. Professor Mello Moraes, 1.382, Butantã), a partir das 8h. No mês que é celebrada a Campanha Outubro Rosa, evento visa conscientizar mulheres sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama e tem o apoio do Instituto do Câncer de São Paulo, unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP.

O festival contará com a presença das integrantes do Programa Remama, que tem como objetivo a reabilitação através do esporte. Trata-se de uma iniciativa da Associação para a Educação, Esporte, Empreendedorismo e Direitos dos Pacientes da Divisão de Reabilitação do Hospital das Clínicas (Aedrehc) com o apoio do Instituto do Câncer de São Paulo, do Instituto de Medicina Física e Reabilitação do HC FMUSP (Imrea) e do Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp).

As competições na água têm início às 8h. Das 11h às 12h, haverá troca de experiências entre as remadoras e as participantes e, entre 12h e 12h30, será ministrada uma palestra sobre a prevenção e detecção precoce do câncer de mama e a importância do exercício físico.

Com a prática de exercício regular, a reincidência da doença é minimizada em virtude do aumento da resistência física, que influencia na melhora do sistema imunológico para trabalhar na prevenção do desenvolvimento de diversas doenças, inclusive o câncer. O remo é um esporte aquático completo e proporciona ao praticante disciplinado condicionamento cardiopulmonar, fortalecimento muscular e controle de peso corporal.

“Além disso, a atividade física traz inúmeros benefícios a pacientes oncológicos, como a melhora da capacidade física, da funcionalidade, da composição corpórea, fadiga oncológica, dos transtornos de humor (como a depressão e a ansiedade), distúrbios do sono, do estado de saúde e da qualidade de vida como um todo e, principalmente, a participação social, pois o convívio com pessoas que enfrentaram desafios semelhantes tem um imenso valor”, afirma a Coordenadora Médica do Serviço de Reabilitação do Instituto do Câncer de São Paulo, Profa. Dra. Christina May Moran de Brito, idealizadora e uma das coordenadoras do Remama.

Sobre o Remama

O programa Remama, realizado pelo Instituto do Câncer de São Paulo e a Rede de Reabilitação Lucy Montoro, ligada à Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e, também, pelo Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp), foi lançado em 2013, inspirado em um movimento mundial de superação da doença através deste esporte. A iniciativa busca promover o exercício físico, neste caso, com o remo, e também auxiliar a desmitificar a crença de que pessoas submetidas a cirurgias para câncer de mama não possam mais realizar atividades como esta.

O esporte ajuda no resgate da qualidade de vida, estimulando a interação social e elevando a autoestima das pacientes. “Dentro do barco, precisamos remar juntas para que o barco se mova numa mesma direção, no mesmo sentido”,  relata a cozinheira Denise Reis, uma das participantes mais antigas do projeto.

“O câncer é uma doença que carrega muitos estigmas, principalmente no que diz respeito à aparência. Por isso, enquanto estão em tratamento, os pacientes precisam ser incentivados, motivados. A autoestima elevada tem sido associada a baixos níveis de depressão e tensão, favorecendo a recuperação social e física. Nosso principal objetivo é resgatar o ânimo dos pacientes, inspirá-los a se olharem além da doença”, explica a coordenadora de humanização do hospital, Maria Helena Sponton.

“Conforme vamos fazendo o exercício, vamos melhorando. Eu nunca mais senti a dor no dia a dia. Eu sinto na hora de remar, mas passa imediatamente”, reforça outra participante, a educadora Rita Mendonça.

 

SERVIÇO

II Festival Paulista de Remadoras Rosas

Quando: Domingo, 13 de outubro

Onde: Raia Olímpica da USP

Endereço: Av. Professor Mello Moraes, 1.382, Butantã

Horário: das 8h às 12h30

COMENTÁRIOS