Prática de remo resgata qualidade de vida de pacientes com câncer

Prática de remo resgata qualidade de vida de pacientes com câncer

Desde 2013, o Projeto Remama busca resgatar a qualidade de vida, por meio da prática de remo, de mulheres que foram acometidas ao tratamento de câncer de mama. Estudos comprovaram que a prática do esporte pode ainda reduzir a reincidência da doença. O projeto é inspirado em um movimento mundial de superação da doença através do esporte.

Trata-se de um projeto realizado em parceria com o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) e a Rede de Reabilitação Lucy Montoro. Os exercícios são executados na Raia Olímpica da USP pelo Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp), com mulheres pacientes do Icesp.

Com a prática do esporte, a reincidência da doença é minimizada em virtude do aumento da resistência física, que influencia na melhora do sistema imunológico para trabalhar no combate ao desenvolvimento de doenças.

O remo é um esporte aquático completo e proporciona ao praticante disciplinado condicionamento cardiopulmonar, fortalecimento muscular e controle de peso corporal. Braços, pernas e troncos são bastante requisitados para impulsionar e movimentar o barco.

As pacientes não ficam em grupos separados, são incluídas e recebem instruções juntamente às demais alunas do remo, o que estimula o convívio e a interação social, devolvendo à elas a autoestima e a qualidade de vida.

COMENTÁRIOS