Projeto da Unesp capacita profissionais sobre combate ao uso de drogas

Projeto da Unesp capacita profissionais sobre combate ao uso de drogas

Há dois anos, um grupo de pesquisadores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Araraquara promove atividades lúdicas em escolas do ensino básico para levar a adolescentes informações sobre dependência química.

No início de 2019, o projeto deu um novo passo. Pela primeira vez, a iniciativa abriu as portas da universidade para um curso com profissionais que lidam com os jovens no cotidiano. A atividade reuniu docentes da rede básica de ensino e profissionais que trabalham com dependência de drogas na região de Araraquara.

Durante cinco dias, os participantes acompanharam palestras e discussões sobre dependência de drogas e os efeitos causados no organismo, além de fatores que podem influenciar para o uso abusivo. O encontro foi organizado pelo Grupo de Pesquisa e Ensino sobre Álcool e Outras Drogas (Pensad), ligado à Faculdade de Ciências Farmacêuticas, da Unesp.

Público

A ideia do grupo é oferecer informações científicas confiáveis sobre entorpecentes a toda a comunidade, com foco principalmente no público jovem. “Mesmo falando com o adolescente, nós não queríamos falar simplesmente para ele fugir das drogas. Chegamos de forma bem aberta e abordamos o porquê de a pessoa usar droga e qual mal isso pode causar”, explica o coordenador do Pensad, Marcelo Marin, à TV Unesp.

O grupo pensou em ideias para tornar o assunto atrativo e garantir o engajamento dos jovens nas atividades. Nesse caso, a música é uma aliada. Divididos em grupos, os participantes trabalharam a canção “Cachimbo da Paz”, do artista Gabriel o Pensador.

“Sempre entregamos um papel com a letra. Isso já traz um interesse maior para eles. É bem amis útil do que uma palestra cansativa de duas horas. A própria letra já traz muitos aspectos relacionados ao tema”, afirma à TV Unesp Lorena de Souza, aluna do curso de Farmácia da Unesp.

Cartilha

Além da parte musical, os participantes receberam uma cartilha criada pelo Pensad, a mesma usada durante as visitas escolares. Nela, há sugestão de outras atividades interativas e lúdicas, como vídeos, jogos de mímicas e perguntas e respostas.

O objetivo do material é servir como um ponto de apoio para quem lida com a questão no dia a dia. É o caso do inspetor de alunos Pedro Trench, no cargo em uma escola estadual de Matão há seis anos. “Quando você consegue trabalhar com diversas ferramentas, isso despertará interesse e pode mudar o interesse dos jovens sobre o tema”, enfatiza à TV Unesp.

Conselheiro tutelar há três anos e criador de uma ONG de prevenção ao uso de drogas em atividade em Araraquara, Marcio Severino avalia que a abordagem mais leve e chamativa ensinada no curso ajuda a ter um contato mais próximo com usuários de drogas.

“Temos que deixar de lado os métodos repetitivos para implantar formas atrativas como as vivenciadas nesta atividade, em que usamos a música, a ludicidade, o esporte e outras ferramentas técnicas para que possamos atingir aquele adolescente e falar de forma divertida”, salienta o conselheiro tutelar à TV Unesp.

COMENTÁRIOS