Projeto incentiva alimentação saudável na infância

Projeto incentiva alimentação saudável na infância

O hábito de se alimentar bem, baseado em refeições equilibradas e ricas em frutas, verduras e fibras, deve vir desde cedo. Os adultos, no entanto, sabem bem como é difícil implementar o costume de uma alimentação saudável nos mais pequenos. Um dos métodos mais eficazes é fazer com que a criança se envolva com o alimento de um jeito divertido e didático.

“É interessante a criança entender o que ela está comendo; saber o porquê é importante comer aquilo e ensinar os diferentes sabores dos alimentos”, conta Elisabete Almeida, diretora-executiva do programa Meu Pratinho Saudável.

Sabendo da dificuldade e na importância em inserir a criançada em hábitos de alimentação saudável, o Projeto Horta Educativa é criado em uma parceria entre o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo (Fussesp) e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

Responsável na Secretaria de Agricultura pela capacitação dos educadores, o engenheiro agrônomo da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), Diógenes Kassaoka, afirma que “ao incentivar o cultivo de horta, transmitimos importantes conceitos para que as crianças valorizem o alimento, cuidem do solo e preservem os recursos naturais, como a água”.

Para orientar as crianças, o Fussp oferece às escolas uma coleção de livros didáticos, elaborada especificamente para o programa, além de um conjunto de ferramentas e utensílios para serem utilizados na horta e também sementes agroecológicas de algumas espécies de hortaliças. Oferece ainda uma capacitação básica sobre o programa para os executores municipais.

A Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), também ligada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, tem papel fundamental no Programa, conforme explica o engenheiro agrônomo do órgão, Osmar Mosca Diz.

“A Cati participa das capacitações, da elaboração dos estudos de viabilidade nas escolas e apoio técnico na implantação e na condução das hortas escolares e das atividades educativas com os professores e as crianças”, explica Diz.

Segundo Telma Tânia de Carvalho, o projeto Horta Educativa é avaliado de forma positiva nos municípios onde tem sido desenvolvido. “As avaliações anuais mostram que 95% das escolas envolvidas observaram mudanças na alimentação das crianças e que elas estão influenciando suas famílias para adotarem hábitos alimentares mais saudáveis”, destaca.

O convênio é anual e desencadeado a partir das prefeituras, que encaminham ao Fussp sua manifestação de interesse em participar do programa.

A participação na iniciativa pode ser feita de duas formas: no caso de escolas estaduais, é feita pela assinatura de um termo de cooperação com o Fussesp; em relação às escolas municipais, é por meio de convênio assinado entre os municípios e o Fundo Social.

O projeto foi elaborado para atender os alunos matriculados em instituições públicas até o 4.º ano do Ensino Fundamental. Para o desenvolvimento das atividades, é fornecido um conjunto de quatro apostilas: caderno de atividades da criança, caderno do educador, caderno do cuidador da horta e caderno da família.

COMENTÁRIOS