Pular o café da manhã pode aumentar riscos de doenças

Pular o café da manhã pode aumentar riscos de doenças

De acordo com estudo feito por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp), com apoio da FAPESP, pessoas que não tomam café da manhã e jantam perto da hora de dormir têm resultados piores depois de um infarto.

Por isso, o hábito de muitas pessoas de pular o café ou substituir a refeição por “qualquer bobagem”, como coxinha com refrigerante, pode trazer riscos à saúde. A primeira refeição do dia é fundamental para repor as energias após um longo período de sono e sem comer e dar energia para mais um dia inteiro de trabalhos e/ou estudos.

Estudos anteriores descobriram que as pessoas que pulam o café da manhã e jantam tarde são mais propensas a ter outros hábitos considerados não saudáveis, como tabagismo e baixos níveis de atividade física. A dieta irregular já foi associada, em outros estudos, a aumento no risco de obesidade, resistência à insulina e doença cardiovascular.

“Nossa pesquisa mostra que os dois comportamentos alimentares que investigamos são independentemente ligados com resultados mais pobres após um ataque cardíaco, mas ter um conjunto de maus hábitos só vai piorar as coisas”, disse Marcos Minicucci.

Segundo ele, quem trabalha até tarde é particularmente suscetível a um jantar tardio e, consequentemente, a não sentir fome pela manhã.

“Também achamos que a resposta inflamatória, o estresse oxidativo e a função endotelial podem estar envolvidos na associação entre comportamentos alimentares pouco saudáveis e desfechos cardiovasculares”, acrescentou.

O hábito de tomar o café da manhã também está diretamente relacionado com a moderação da ingestão calórica diária, regulação do índice glicêmico, prevenção de doenças como diabetes e hipertensão arterial, doenças associadas ao ganho de peso, e com menor acúmulo de gordura visceral.

“Além disso, ficar em jejum pode levar a uma redução na taxa do metabolismo e, com isso, dificultar a realização do trabalho e outras atividades do dia a dia, devido à baixa oferta de energia”, afirma a médica Elisabete Almeida, diretora-executiva do Meu Prato Saudável.

Segundo ela, quando a pessoa pula o café da manhã tende a sentir mais fome e exagerar nas outras refeições do dia. Outra consequência é a hipoglicemia, que pode causar dor de cabeça e mau humor.

O café da manhã saudável deve conter carboidratos, como pães, biscoitos, cookies ou torradas, e proteínas como queijos magros (cottage, branco, ricota), iogurte reduzido em gordura, leite desnatado, tofu, leite de soja ou ovo preparado sem adição de gordura, além de frutas (qualquer uma) e uma fonte de boa gordura como castanhas, nozes, avelã e creme vegetal.

A diretora do Meu Prato Saudável diz que, conforme alguns estudos, pessoas que tomam regularmente um café da manhã saudável apresentam maior capacidade de concentração e melhor desempenho cognitivo. “Isso porque os alimentos consumidos fornecem nutrientes essenciais para essa função. Os cereais integrais são ricos em vitaminas do complexo B e carboidratos complexos, as frutas fornecem diversos nutrientes, e até o ovo (cozido, pochê, quente ou mexido) contribui como fonte de colina, importante nutriente para o funcionamento cerebral”, ressalta a médica.

Quanto à ingestão de café puro, a especialista diz não haver problema o consumo for moderado. A cafeína tem efeito termogênico, principalmente se for ingerido antes do exercício físico. Também é responsável por aumentar o estado de alerta e diminuir a fadiga mental. O efeito irá ocorrer em média depois de 30 a 60 minutos após a ingestão.

“Por outro lado, a ingestão de café em quantidades exageradas, pode aumentar a pressão arterial e favorecer a resistência à insulina, além de causar desconfortos gastrintestinais e desidratação. A tolerância é muito individual, mas considera-se razoável o consumo de até quatro xícaras por dia”, conclui Elisabete.

COMENTÁRIOS