‘Regional de Ferraz’ ganha UTI neonatal e maternidade modernizadas

‘Regional de Ferraz’ ganha UTI neonatal e maternidade modernizadas

Saúde estadual investiu R$ 8,9 milhões em obras e contratação de neonatologistas para garantir assistência integral a gestantes e recém-nascidos

O governador Geraldo Alckmin entrega nesta sexta-feira, 16 de janeiro, as obras de reforma, adequação e modernização da maternidade e da UTI neonatal do Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos, no Alto Tietê. Elas resultarão em melhorias no atendimento materno-infantil na região.

A expectativa é que o número de partos seja praticamente quadruplicado, atingindo uma média de 300 procedimentos por mês.

No total, a Secretaria de Estado da Saúde investiu R$ 8,9 milhões, contabilizando os recursos destinados à contratação de novos profissionais e à reforma dos setores, que inclui adequações estruturais, manutenção de pisos, forros e paredes e outras medidas que visam maior conforto às mães e seus bebês.

A maternidade contará com 30 leitos obstétricos, dos quais 29 com alojamento conjunto para recém-nascidos e um específico para casos de urgência.

O hospital dispõe ainda de um centro de obstetrícia com três salas de parto cirúrgico e duas para parto humanizado.

Para atender a intercorrências ou complicações com a saúde dos bebês, a UTI neonatal é composta por 27 leitos no total, sendo 10 intensivos, 10 semi-intensivos e 7 de observação.

Com o intuito de garantir pleno atendimento às gestantes e seus filhos, o hospital contratou uma empresa que deverá disponibilizar, diariamente, nove médicos neonatologistas para atendimento ininterrupto em ambos os setores.

Os pacientes contarão com especialistas em Neonatologia, Ginecologia, Obstetrícia, Fisioterapia, Fonaudiologia, além de enfermeiras especializadas em Neonatologia e Obstetrícia.

“Estamos entregando à população do Alto Tietê uma nova maternidade e uma UTI neonatal com estruturas modernas e equipe altamente qualificada, além de um importante reforço no quadro médico para atender às gestantes e recém-nascidos. Iniciativas como esta ajudam a fortalecer a assistência à gravidez e ao parto, contribuindo com a redução dos índices de mortalidade materno-infantil”, afirma o secretário de Estado da Saúde em exercício, Wilson Pollara.

COMENTÁRIOS