São Paulo lança Plano Estadual de Combate ao Aedes

São Paulo lança Plano Estadual de Combate ao Aedes

 

 

O Governo do Estado de São Paulo lançou no último sábado (2) o Plano Estadual de Combate ao Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

Trata-se de uma grande mobilização, que será realizada ao longo de todo o mês de fevereiro, para envolver a sociedade e os municípios paulistas em torno da necessidade de eliminação de focos do mosquito.

“As ações serão concentradas nas áreas de maior risco e onde, no ano passado, houve uma incidência maior de casos de dengue”, disse o governador João Doria.

Entre 11 e 16 de fevereiro será realizada uma Semana Especial, em parceria com os municípios, com ações coletivas como arrastões, limpezas e eliminação de criadouros, além de distribuição de materiais informativos para a população. O plano ainda prevê ações integradas entre a Secretaria da Saúde e outras pastas e órgãos do governo do Estado.

A Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), fará a distribuição de panfletos em algumas praças de pedágio, além de inserir mensagens de orientação sobre combate ao Aedes nos letreiros das rodovias. No dia 13 de fevereiro está prevista a realização de um “Dia D” de limpeza nas margens das rodovias, para retirada de pneus, entulhos e outros itens que podem ser potenciais criadouros do mosquito.

Agentes da Defesa Civil farão, ao longo do mês de fevereiro, ações especiais juntamente com profissionais da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) em cidades consideradas prioritárias, de acordo com os índices de infestação.

No dia 16 de fevereiro, as Secretarias da Saúde e do Meio Ambiente farão uma ação de combate contra o Aedes aegypti e de conscientização nos parques estaduais, com apoio da Sucen e distribuição de materiais informativos.

Saúde e Educação também deverão realizar, em fevereiro, um Dia Especial de combate ao mosquito transmissor da dengue nas escolas estaduais, com mobilização dos alunos para “caça” a possíveis criadouros em toda a rede.

O governo estadual estuda, ainda, a criação de um “selo de qualidade” a ser entregue aos municípios que reduzirem ou mantiverem índices de infestação de larvas do mosquito em níveis satisfatórios.

No mês de janeiro foram registrados 4.595 casos confirmados de dengue. Dez cidades concentram 77,4% dos casos de dengue confirmados e somam 3.507 casos.

Treinamento

A Secretaria de Estado da Saúde vem realizando, desde janeiro, treinamento técnico para manejo clínico de casos suspeitos de dengue nos serviços de saúde dos municípios.

A ação ocorre visando capacitar os profissionais para identificação de potenciais casos graves, em razão da circulação do sorotipo 2 da doença no Estado, o que não ocorria há muito tempo. Como a população não está imune ao tipo 2, quem já contraiu a doença, caso seja novamente infectada, pode evoluir para um caso mais grave clinicamente.

A primeira capacitação envolveu toda a região de Araçatuba. Os próximos deverão incluir as macrorregiões de Botucatu, Ribeirão Preto, Campinas e Região Metropolitana / Litoral do Estado.

As ações da Secretaria da Saúde também envolvem a realização de videoconferências para gestores municipais, no sentido de definir estratégias locais de combate ao Aedes aegypti e de assistência à população.

“Estamos trabalhando de forma articulada, em parceria com outras secretarias e órgãos do governo do Estado, e com os gestores municipais, para combater o Aedes e as doenças que ele transmite, bem como garantir a devida assistência aos pacientes com casos suspeitos de dengue e demais arboviroses. Contamos com o imprescindível apoio da população, no sentido de contribuir para a eliminação de possíveis criadouros do mosquito, uma vez que 80% dos focos são localizados dentro dos municípios”, afirma o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

 

 

COMENTÁRIOS