São Paulo quer vacinar 10,7 milhões de paulistas contra a gripe

São Paulo quer vacinar 10,7 milhões de paulistas contra a gripe

                                                                                        

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo inicia na próxima segunda-feira, 23 de abril, em parceria com os municípios, a campanha de vacinação contra a gripe. A expectativa é que 10,7 milhões de paulistas sejam vacinados contra o vírus Influenza, o correspondente à 90% da população-alvo definida para a campanha.

A vacina é produzida pelo Instituto Butantan, unidade vinculada à Secretaria, que disponibilizou 60 milhões de doses ao Ministério da Saúde para a realização da campanha em todo o Brasil neste ano. Neste ano, as ações serão desenvolvidas em cerca de 6,5 mil postos de vacinação em todo o Estado, com a mobilização de mais de 36 mil profissionais.

Para 2018, o investimento do Instituto foi de R$ 5 milhões nas vacinas, que começaram a ser produzidas em setembro de 2017. “Esse investimento possibilitou aumentar a produção, garantindo segurança e agilidade nos processos produtivos e, posteriormente, na entrega das doses ao Ministério da Saúde. Para se ter uma ideia, no ano passado, em 10 meses produzimos 45 milhões de doses e neste ano, com este investimento, iremos fornecer 60 milhões em oito meses de produção”, explica Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Considerando todo o território paulista, a meta é vacinar mais de 4,3 milhões de idosos (pessoas com 60 anos ou mais); cerca de 2,4 milhões de pessoas com comorbidades, como asma, diabetes, imunodeprimidos e outros; aproximadamente 2,3 milhões de crianças com idade a partir de seis meses e até cinco anos; 1,2 milhão de profissionais de saúde; 423 mil gestantes e 70 mil puérperas (com até 45 dias após o parto), entre outros.

De acordo com a diretriz do Ministério da Saúde, responsável por encaminhar as doses da vacina para todo o país, a campanha de vacinação contra gripe em 2018 ocorrerá por etapas (confira cronograma abaixo). A primeira começa no dia 23, voltada a idosos com 60 anos ou mais, profissionais de saúde e população indígena.

Na segunda etapa, a partir de 2 de maio, serão vacinadas as crianças de seis meses até cinco anos, gestantes e puérperas com até 45 dias após o parto.

No dia 9 de maio, a vacinação se estende para professores e pacientes com doenças crônicas, como asma, diabetes, doenças imunossupressoras e outras.

A campanha ainda conta com o “Dia D” de vacinação, em 12 de maio, quando os postos de saúde funcionarão no sábado, das 8h às 17h.

“A vacinação contra o vírus Influenza é fundamental para evitar complicações decorrentes da gripe, otites e sinusites”, afirma Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria. “É importante deixar claro que a vacina não provoca gripe em quem tomar a dose, já que é composta apenas de fragmentos do vírus que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença”, explica.

Segundo recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde), a vacina de 2018 irá prevenir a população alvo contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A  (H3N2) e B.

Conforme preconiza o Ministério da Saúde, somente casos de gripe grave, caracterizados como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), independentemente do tipo, são de notificação obrigatória no Brasil. Em 2018, até o momento, foram notificados 65 casos de SRAG no Estado de São Paulo atribuíveis ao vírus Influenza, causador de gripes, e 11 óbitos. Desse total, foram relacionados ao vírus A (H3N2) 19 casos e 3 óbitos. Em 2017, foram 1.021 casos e 200 óbitos, cerca de metade relacionados ao H3N2 – 562 casos e 99 mortes.

Etapas da campanha de 2018

Etapa 1: a partir do dia 23 de abril, para trabalhadores de saúde, pessoas com idade de 60 anos e indígenas;

Etapa 2: a partir de 2 de maio, para crianças com idade maior que 9 meses e menor que 5 anos, gestantes, puérperas com até 45 dias após o parto;

Etapa 3: a partir de 9 de maio, para pacientes diagnosticados com doenças crônicas, professores, e outros;

Dia D: dia 12 de maio, para todos os grupos do público-alvo.

Confira a população-alvo da campanha de vacinação, por região*:

Região População-alvo
Grande São Paulo 5.408.306
Araçatuba 213.805
Araraquara 275.690
Marília 350.107
Barretos 125.373
Bauru 503.912
Campinas 1.136.860
Franca 181.034
Piracicaba 389.354
Presidente Prudente 222.270
Vale do Ribeira 81.336
Ribeirão Preto 399.774
Baixada Santista 534.693
São João da Boa Vista 234.490
Vale do Paraíba 701.932
São José do Rio Preto 517.523
Sorocaba 626.009

 

* Meta é vacinar 90% da população-alvo em cada região

COMENTÁRIOS