São Paulo registra 65 casos confirmados para coronavírus

São Paulo registra 65 casos confirmados para coronavírus

Estado tem 752 suspeitos e 545 descartados; prevenção inclui adiamento de eventos, suspensão de aulas e de férias de profissionais de saúde

A Secretaria de Estado da Saúde registra neste sábado (14) 65 casos confirmados do novo coronavírus (COVID-19) em SP. Destes, 62 residem na Capital, 1 em Santana do Parnaíba, 1 em Ferraz de Vasconcelos e 1 em Carapicuíba. O Estado também registra 752 casos suspeitos e 545 descartados.

Ontem (13), o Governo do Estado definiu medidas para intensificar o enfrentamento a doença. Em acordo com o Ministério da Saúde, ficou definido que haverá interrupção gradual das aulas na rede estadual de ensino a partir de segunda (16), até dia 23, o adiamento de eventos públicos ou privados que reúnam 500 ou mais pessoas e a suspensão por 60 dias das férias de funcionários da rede estadual da Saúde. A recomendação estudantil é estendida também às escolas particulares de SP.

“A melhor medida para combater o novo coronavírus hoje, é a prevenção individual e coletiva. Cada pessoa deve cuidar de si, prezando por sua higiene e seguindo a “etiqueta respiratória”, e também das pessoas ao redor, mantendo ambientes limpos, evitando aglomerações, e permanecendo em casa se apresentar sintomas. As medidas coletivas que definimos ontem visam minimizar a circulação do vírus, reduzindo o número de pessoas doentes e, consequentemente, evitando mortes”, afirma o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

A partir de hoje, os eventos promovidos pelo Estado que poderiam reunir aglomerações com mais de 500 pessoas estão suspensos por tempo indeterminado. A mesma restrição deve ser seguida em eventos particulares de qualquer natureza – cultural, esportiva, religiosa etc.

Na semana que vem, as escolas permanecerão abertas para receber as famílias dos alunos e oferecer orientações. Uma delas é evitar que crianças e jovens permaneçam em casa sob a tutela dos avós ou parentes com mais de 55 anos, considerando que os idosos são mais vulneráveis aos sintomas respiratórios graves provocados por COVID-19.

As definições são baseadas no cenário de transmissão do vírus em São Paulo, com contaminação entre pessoas que residem no estado e não viajaram para com circulação há mais tempo. As decisões ocorreram em reunião entre o Governador João Doria, o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, o Secretário de Estado de Saúde José Henrique Germann Ferreira e o Coordenador do Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo, o infectologista David Uip.

Rede de enfrentamento

Nessa semana, o Governo do Estado também anunciou a abertura de mil leitos para assistência aos pacientes com COVID-19, a compra de kits com capacidade para até 20 mil testes do covid-19; aquisição de 200 aparelhos respiradores; e aquisição de insumos para profissionais de saúde dos hospitais estaduais, como máscaras, luvas, higienizadores e aventais.

Dicas de prevenção:

– Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
– Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
– Não compartilhar objetos de uso pessoal;
– Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
– Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
– Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
– Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

Combate às fake news

O Governo do Estado possui um site específico para orientar a população sobre o tema e enfrentar a disseminação de fake news: www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus. Nele, é possível encontrar explicações gerais e materiais para download, incluindo um Guia de Prevenção e uma relação de dúvidas frequentes, além de cartazes, vídeos e áudios de entrevistas com especialistas.

COMENTÁRIOS