#DiaMundialdaVoz: Confira dicas de cuidados com as cordas vocais

#DiaMundialdaVoz: Confira dicas de cuidados com as cordas vocais

Maus hábitos podem causar paralisia das cordas, pólipos e até câncer de faringe; data é celebrada hoje (16)

Em homenagem ao Dia Mundial da Voz, comemorado no dia 16 de abril, a Secretaria de Estado da Saúde reforça a importância dos cuidados com as cordas vocais.

As causas de problemas relacionados à voz estão ligadas aos hábitos prejudiciais como fumar, ingerir bebidas alcoólicas, alimentos gelados e abuso das cordas vocais (por exemplo, gritar, forçar, pigarrear).

Entre as doenças mais diagnosticadas estão o câncer na faringe, inflamações na faringe, rinite, pólipo (saliência na corda vocal), entre outros.

O câncer de faringe é uma das causas mais frequentes para internações em hospitais do SUS no Estado de São Paulo, relacionados a problemas com a voz. Em 2018, duas a cada cinco internações no SUS em SP por problemas nas cordas vocais, garganta, faringe e laringe foram relacionadas a esse tipo de câncer.

O diagnóstico precoce das doenças garante maior eficácia de tratamento e cura. “É importante ter atenção a sintomas como rouquidão frequente, dor ao falar, variações na voz ao longo do dia, falta de volume para projeção da voz, afonia, cansaço ou falta de ar ao falar”, explica a fonoaudióloga do AME (Ambulatório Médico de Especialidades) Barradas, Jessica Cristina Toledo de Oliveira. Diante de qualquer alteração vocal significativa, a especialista orienta a procurar um serviço de saúde.

Os cuidados são simples e eficazes, como a ingestão frequente de água. Por isso, tenha sempre uma garrafinha ou copo d’água sempre por perto, para tomar bons goles em intervalos pequenos, afinal, não só para a voz, mas para todo organismo, água nunca é demais. “Água deixa as pregas vocais constantemente hidratadas, uma proteção fundamental para a voz”, afirma a fonoaudióloga Ariana Alves. “A frequência deve ser a cada pequenos intervalos.”

Há pessoas que apresentam voz rouca desde a infância, mas se essa rouquidão piorar, ou aparecer constantemente em quem nunca apresentou o quadro, é preciso estar atento. “Se a rouquidão persistir é necessária uma visita ao otorrinolaringologista, para verificar se é um problema orgânico ou um problema funcional”, alerta Ariana Alves. “A partir dos exames se vê a conduta a ser tomada, e se necessário, visita ao fonoaudiólogo.”

A tradutora paulista Beatriz França passa grande parte do tempo em reuniões e eventos com executivos estrangeiros e afirma que, após os dias exaustivos, em que fala muito, procura ingerir água com gengibre ou chá com gengibre e limão. “Esse hábito me ajuda muito”, garante a profissional. “Uma boa noite de sono para mim também é fundamental”, completa.

Cuidados com a voz:

– Fale sem esforço e articule as palavras, abrindo bem a boca;

– Procure reduzir a quantidade de fala durante quadros gripais, crises alérgicas e período pré-menstrual;

– Evite falar por longos períodos, principalmente em ambientes ruidosos;

– Faça exercícios de aquecimento e desaquecimento da voz sempre orientados por um fonoaudiólogo;

– Evite pigarrear, tossir ou gritar exageradamente;

– Evite ingerir leite e derivados, bebidas gasosas e chocolate antes de utilizar a voz por períodos prolongados;

– Beba água a cada 15 minutos (em temperatura ambiente e sem gás) em situações de uso prolongado da voz;

– Esteja atento aos primeiros sintomas de alteração vocal, como cansaço, ardor ou dor ao falar, falhas na voz, mudança de tom, pigarro e rouquidão;

– Tenha uma alimentação saudável rica em frutas e proteínas – evite álcool, alimentos pesados e cafeína;

– Evite fumar;

– Realize avaliação e acompanhamento médico com otorrinolaringologista sempre que apresentar qualquer sintoma vocal ou alterações das vias aéreas superiores.

COMENTÁRIOS