Saúde distribui autoteste para HIV no Espaço Itaú de Cinema

Saúde distribui autoteste para HIV no Espaço Itaú de Cinema

A Secretaria da Saúde, por meio do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP, ofertará autoteste para HIV para quem for assistir ao documentário “Carta para além dos muros”, no Espaço Itaú de Cinema (Rua Augusta, 1475).  No período de 23 de setembro (estréia) a 2 de outubro das 15h às 21h  serão distribuídos 1000 autotestes, com informações sobre como utilizá-lo.

“O autoteste é um insumo muito simples de usar. Ele funciona da mesma forma que os testes rápidos utilizados em serviços de saúde ou em mutirões de testagem, com a diferença que é feito pela própria pessoa, em casa ou em qualquer lugar, no momento que preferir, sozinho ou com alguém em quem confia”, declara Alexandre Gonçalves, coordenador do Programa Estadual DST/Aids-SP.

“Os autotestes são uma ferramenta importante para a contenção da epidemia do HIV/AIDS, apresentando-se como  mais uma alternativa de diagnóstico precoce”,  reforça Karina Wolffenbuttel, da Gerência de Assistência Integral a Saúde do CRT DST/Aids-SP.

Caso a pessoa que fez o autoteste verificar que o resultado é “reagente”, ou seja, positivo, ela  deverá procurar o serviço de saúde para realizar outros testes que irão confirmar ou não o resultado.

”Nessas situações, só o profissional de saúde poderá dar o diagnóstico definitivo. E caso se confirme a infecção pelo HIV, esse profissional fará o encaminhamento aos serviços de referência para que você inicie o tratamento. Assim, evita-se a evolução da doença e garante-se a qualidade de vida, mesmo vivendo com o vírus”, informa Márcia Santos, da Gerência de Apoio Técnico do CRT DST/Aids-SP.

Este teste representa mais um passo frente aos esforços para aumentar a autonomia do indivíduo, descentralizar os serviços e criar demanda de testes de HIV entre aqueles não alcançados pelos serviços ou que precisam ser testados com mais frequência devido à exposição contínua ao risco, ou seja, que precisam ser testadas com frequência devido à sua maior vulnerabilidade ao risco de contrair HIV, como os homens que fazem sexo com homens (HSH), a população trans, os (as) trabalhadores(as) do sexo, a população privada de liberdade e as pessoas usuárias de álcool e outras drogas.

“A testagem é indicada para todos que tiverem vida sexual ativa, em especial para a população mais vulnerável, ou seja, homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo, travestis e transexuais”, afirma o coordenador do Programa Estadual DST/Aids-SP, Artur Kalichman.

Informações adicionais podem ser obtidas por meio do Disque DST/Aids-SP: 0800 16 25 50 ou pelo link https://www.facebook.com/conversariasemtabu/

COMENTÁRIOS