Saúde entrega sistema de correio pneumático do Icesp

Saúde entrega sistema de correio pneumático do Icesp

Como parte das comemorações de uma década de existência, o Icesp inaugurou nesta quarta-feira (16) o sistema de correio pneumático. O aparelho irá transportar, por ar comprimido,  amostras de exames e materiais de urgência entre os andares do prédio do Instituto e também para setores do Complexo HC.

Com tubulações que percorrem 2,7 km, a tecnologia promete agilizar rotinas internas e garantir melhor desempenho dos profissionais do hospital. A estimativa é que sejam conduzidos até 44 mil amostras de diversos objetos.

“Nos Estados Unidos é muito comum a utilização desse tipo de recurso para maximizar a eficiência. Aqui isso vai nos possibilitar que os exames coletados no hospital cheguem ao laboratório em um tempo muito curto, sem a necessidade de usar os elevadores do prédio. Todos ganhamos com a melhora desse atendimento – será melhor para os pacientes e mais eficiente para os funcionários”, explica Paulo Hoff, Diretor Geral do Icesp.

Para entrar em funcionamento, o sistema será acionado por meio de um painel, que permite acompanhar o funcionamento em tempo real e o rastreamento de todos os envios com filtros para datas, horários, destino, entre outros parâmetros.

“É uma honra celebrar os dez anos do Icesp. Junto com essa celebração, a inauguração do sistema pneumático, que agilizará a rotina do hospital e permitirá que os profissionais mantenham o foco integralmente no cuidado aos pacientes”, comentou Lúcia França, Primeira-dama do Estado de São Paulo e presidente do Fundo Social de Solidariedade.

20180516_113541

“O grande desafio para os próximos dez anos é manter essa excelência, e isso exige recursos”, comenta José Otávio Costa, Diretor da FMUSP e presidente do Conselho Deliberativo do HC.

O Secretário de Saúde Marco Antonio Zago marcou presença no evento e reforça a necessidade de conservar a excelência do Instituto. “O Icesp é uma instituição respeitada não somente pela qualidade, mas também pelo volume de atendimento. E esse padrão deve ser ainda mais ampliado e melhorado, uma vez que o câncer é a doença que mais mata no mundo”.

O investimento do sistema foi de R$ 2 milhões.

COMENTÁRIOS