Saúde faz mutirão de teste rápido de HIV na semana da Parada LGBT

Saúde faz mutirão de teste rápido de HIV na semana da Parada LGBT

Na semana que antecede a 22ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo realiza um mutirão de testes rápidos para o diagnóstico do HIV no vão livre do Masp (Museu de arte de São Paulo), localizado na avenida Paulista. O objetivo é incentivar o  diagnóstico precoce da  infecção pelo vírus da Aids e  reduzir o medo e o preconceito em relação ao teste.

Nesta segunda-feira, 28 de maio, e também na terça, 29, das 10h às 21h, 60 profissionais do Programa Estadual de DST/Aids estarão mobilizados para realizar a testagem. Serão disponibilizados dois mil testes rápidos por fluído oral, 30 mil preservativos, 10 mil saches de gel lubrificante, 2 mil preservativos femininos e 10 mil  panfletos com orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis.

Aproximadamente metade dos óbitos por Aids no Estado estão relacionados ao diagnóstico  tardio   da  infecção.

“Todos os dias, sete paulistas morrem  em   decorrência  da Aids. A testagem é  gratuita e está disponível em toda a rede pública de  saúde”, informa Artur Kalichman, coordenador do Programa  Estadual   DST/aids-SP. “É  fundamental  que as  pessoas  com vida sexual ativa façam o teste. Se o resultado for positivo, é importante encaminhá-las para um serviço de saúde para avaliação e acompanhamento médico”, explica.

O teste rápido do HIV por fluido oral  leva aproximadamente 30 minutos para ser realizado e sua eficácia é igual ao teste tradicional. Todo o processo é feito  de forma cautelosa e sigilosa.

“O teste por fluido oral  não requer infraestrutura laboratorial, e sua execução, leitura e interpretação são simples”, observa Ivone de Paula, gerente da Área de Prevenção do Programa Estadual DST/Aids-SP.

Pedro Borges, profissional autônomo da capital paulista, realizou o procedimento e enfatizou a necessidade de esclarecer o quanto o processo é simples. “Achei que doeria, mas o exame foi sem traumas. É interessante saber que evoluímos a ponto de conseguir realizar um autoteste. A população tem de se conscientizar.”

Quanto mais prematuramente for descoberto o vírus, maiores as chances de combater a Aids, como frisa a Dra. Maria Clara Gianna, diretora técnica do Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS-SP da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo.

“Se a pessoa identificar o vírus no momento adequado, vai ser mais simples o tratamento da Aids, e os medicamentos terão efeito maior”, esclarece.

A ação ocorre em parceria com a Aids Healthcare Foundation e a Impuse São Paulo.

Feira da diversidade

No dia 31 de maio, acontece a Feira da diversidade, que integra a agenda da Semana do Orgulho LGBT de São Paulo. Profissionais do Programa  Estadual DST/Aids-SP estarão no Vale do Anhangabaú para orientar a população sobre a importância da prevenção às DST/Aids. Também serão distribuídos 100 mil preservativos, 12 mil sachês de gel lubrificante e  10 mil folhetos informativos no local.

Para obter mais informações sobre a campanha ou consultar os locais onde é possível fazer o teste rápido, os interessados podem ligar no Disque DST/Aids 0800-16 25 50 ou acessar o site: www.crt.saude.sp.gov.br.

COMENTÁRIOS