Saúde faz mutirão de testes para HIV no vão livre do Masp

Saúde faz mutirão de testes para HIV no vão livre do Masp

A Secretaria de Estado da Saúde realiza nesta sexta feira, 1º de dezembro, das 10h30 às 22h, um mutirão de diagnóstico e prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo), para marcar o Dia Mundial de Luta contra a Aids.

Por meio do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP, serão ofertados 800 testes para HIV por fluído oral e de 16 mil preservativos, sendo 15 mil masculinos e mil femininos, além de 6 mil sachês de gel lubrificante e 4 mil folders informativos.

A partir deste ano, as ações de combate, prevenção ao HIV/Aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) no decorrer do mês, através da campanha “Dezembro Vermelho”, instituída com a lei nacional 13.504, de 2017. No Estado de São Paulo, a programação abrange desde rodas de conversa até mutirões de testagem em vários locais. (confira programação abaixo)

“O debate sobre as infecções sexualmente transmissíveis é fundamental, assim como a promoção de eventos para alertar a população sobre os riscos de se contrair essas doenças”, ressalta o coordenador do Programa Estadual DST/Aids-SP, Artur Kalichman.

Estatísticas de HIV/Aids

Levantamento do CRT mostra que o comportamento dos casos de Aids vem mudando desde o início da epidemia em SP. A partir de 2015, o número de notificações de infecções pelo HIV passou a ser maior que a de casos de Aids, o que pode estar associado às iniciativas para diagnóstico precoce e agilidade no tratamento, evitando-se a evolução para Aids. “A notificação das infecções pelo HIV e não dos casos de Aids indicam com maior precisão o comportamento atual das novas infecções. Assim, atualmente, os casos de Aids são um indicador da necessidade de ampliar o acesso ao teste e ao tratamento”, comenta a coordenadora adjunta do Programa Estadual DST/Aids-SP, Maria Clara Gianna.

Desde 1998, houve declínio da tendência dos casos de Aids para ambos os sexos e, a partir de 2012, verifica-se queda inclusive entre homens que fazem sexo com homens (HSH). Semelhante ao restante do país, a epidemia em SP é caracterizada como “concentrada”, ou seja, mantém uma prevalência de HIV/aids menor que 1% na população geral, e alta em alguns seguimentos populacionais mais vulneráveis, a exemplo dos HSH (18%), usuários de drogas injetáveis (5,9%) e profissionais do sexo (4,9%).

Entre 1985 até 2016, foram notificados 260.466 casos de Aids e faleceram 113.901 pessoas pela doença. Entretanto, devido principalmente ao acesso a tratamento, a taxa de mortalidade caiu 74,7% nos últimos vinte e dois anos. Em 1995, ocorreram 7.739 óbitos, com a maior taxa de mortalidade da história, de 22,9 mortes por 100 mil habitantes. Em 2016, foram 2.508 óbitos, que correspondem a uma taxa de 5,8 mortes a cada 100 mil habitantes.

Por outro lado, nos últimos dez anos o número de novas infecções pelo HIV notificadas vem crescendo de forma expressiva entre homens gays jovens, na faixa etária de 15 a 29 anos. O número de infecções notificadas mais que triplicou entre 2010 e 2016, saltando de 876 para 3.220 casos, no período.

 

Programação do ‘Dezembro Vermelho’

Os prédios do Palácio dos Bandeirantes, da Secretaria de Estado de Saúde, do Centro de Referência e Treinamento IST/Aids-SP, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), entre outros serviços e órgãos estaduais, serão iluminados com a cor vermelha no dia 1º de dezembro e/ou no decorrer do mês, em alusão à campanha.

No dia 27 de novembro, o CRT lançou a campanha “Fique Sabendo”, mobilizando cerca de 600 municípios durante a última semana de novembro para orientações e testagens, com a expectativa de ofertar 350 mil exames e testes.

Confira abaixo as demais atividades previstas para o decorrer do mês:

01/12/2017

  • “Conversaria sem Tabu”, com estagiários e aprendizes da Companhia Ambiental Paulista

Horário: 9h às 12h

Endereço: Rua Professor Frederico Hermann Junior, 345 – Alto de Pinheiros

Coordenadora: Naila Janilde Seabra Santos – Prevenção CRT IST/Aids-SP

  • Vamos conversar sobre prevenção no CRT: “Deixe seu recado”. Cabine da Prevenção, atividade para usuários e trabalhadores do CRT IST/Aids

Horário: 10h às 18h

Endereço: Rua Santa Cruz, 81

Coordenação: Paula de Souza, Robson Zamboni e Marilda Martins

02/12/2017

  • Roda de Conversa “Papo Reto sobre jujubas, efavirenz, chás e outras neuras”,  com jovens que nasceram com HIV em parceria com a Rede de Jovens e a ONG Ânima no CRT-DST/AIDS

Horário: 10h às 16h

Endereço: Rua Santa Cruz, 81

Coordenação: Analice de Oliveira – Prevenção CRT IST/Aids-SP

03/12/2017 

  • Testagem HIV no SESC Itaquera – oferta de 300 testes para HIV (fluído oral) e distribuição de 7 mil preservativos masculinos, 500 femininos, 1 mil sachês de gel lubrificante e materiais educativos

Horário: 11h30 às 16h30

Endereço: Av. Fernando do Espírito Santo Alves de Matos, 1000

Coordenação: Equipe CRT IST/Aids-SP, parceiros, SESC e Agência Aids

05/12/2017

  • “Conversaria Sem Tabu” entre a equipe do CRT – O que precisamos saber sobre travestis e transexuais?

Horário: 14h às 15h30

Endereço: Rua Santa Cruz, 81

Coordenação: Naila Janilde Seabra Santos – Prevenção e  Ambulatório de Saúde Integral para Travestis e Transexuais do CRT IST/Aids-SP

06/12/2017

  • Rumo a zero discriminação no Estado de São Paulo – atividade do “GT  zero discriminação” CRT IST/AIDS

Horário: 14h às 16h30

Endereço: Rua Santa Cruz, 81

Coordenação: Fabíola Lopes – Prevenção CRT IST/Aids-SP

08/12/2017

  • Prevenção Combinada nas Universidades, chegando nos jovens com a “Conversaria sem Tabu”, em parceria com a Faculdade das Américas

Horário: 17h30 às 21h30

Endereço: Rua Augusta, 1508

Coordenação: Ivone de Paula e Paula de Oliveira Sousa (CRT IST Aids/-SP)

12/12/2017

  • “Conversaria sem Tabu” em parceria com a Agência Aids

Coordenação: Ivone de Paula (CRT IST Aids/-SP) e Roseli Tardeli (diretora da Agência Aids de Notícias)

COMENTÁRIOS