Saúde incentiva doação de Leite Humano durante o Carnaval

Saúde incentiva doação de Leite Humano durante o Carnaval

Bancos de Leite Humano convidam mães em fase de amamentação para doar leite excedente; no momento, estoques correspondem a 40% do necessário, e baixas costumam ocorrer em feriados

Em meio as comemorações de Carnaval, a pasta convida as mães paulistas que estão amamentando para doarem o leite excedente, com o intuito de aumentar o estoque dos Bancos de Leite Humano (BLH) de SP e contribuir no desenvolvimento das crianças recém-nascidas.
No momento, os estoques de 25 BLHs de SP possuem aproximadamente 40% da necessidade mensal de leite, e a frequência das doações tendem a diminuir em feriados. A preocupação com o abastecimento é constante e o ideal é que as doações sejam feitas o ano inteiro.

Visando ampliar a coleta, o BLH do Hospital e Maternidade Leonor Mendes de Barros vai funcionar em todos os dias do final de semana e feriado, das 7h às 19h. Basta comparecer à unidade, que está localizada na Avenida Celso Garcia, 2477, no Belenzinho – zona Leste da capital.

“A doação é de extrema importância para o bebê internado em unidade neonatal, por exemplo, contribuindo para progressão mais rápida da dieta, redução do tempo de internação, menor risco de problemas oculares e pulmonares, entre outros pontos positivos”, explica a coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros, Andrea Spinola.

São Paulo é o estado com a maior concentração de Bancos de Leite Humano, com 57 unidades e outros postos de coleta. (confira abaixo instruções para doar)

“Qualquer quantidade ajuda. Existem bebês que mamam apenas 1ml em cada mamada. Por isso, muitas vezes 1 litro de leite humano pasteurizado é capaz de alimentar 10 recém nascidos prematuros por dia”, complementa Spinola.

A doação de leite auxilia no atendimento de recém-nascidos, principalmente para os internados em unidades neonatais, onde em muitos casos as mães têm dificuldade de amamentar. Além disso, pode ser vantajosa para as mulheres, uma vez que evita o acúmulo de leite nas mamas e possíveis complicações.

“O leite estagnado, parado nas mamas, pode levar a intercorrências extremamente dolorosas que podem ocasionar o desmame, como ingurgitamento mamário, ducto bloqueado, mastite e abscesso mamário”, detalha a coordenadora.

“Meu filho recebeu o leite do Hospital Guilherme Álvaro. Aqui é referência para todas as mães que não conseguem amamentar seus filhos”, disse Priscila Gomes Ribeiro, paciente do Hospital. 

Como doar

Tornar-se doadora é muito simples. Se a mulher é saudável, está amamentando seu bebê e sobra leite nas mamas, ao invés de desprezar o excedente, pode contribuir com as mães que não têm leite suficiente. Para doar, basta seguir as normas higiênico sanitárias para coleta de leite humano, coletar em recipiente de vidro esterilizado, armazenar em congelador por até 15 dias, ligar para o banco de leite humano mais próximo de sua residência. A lista completa pode ser consultada no site http://www.redeblh.fiocruz.br.

COMENTÁRIOS