Saúde libera R$ 54 milhões para custeio do Complexo Hospitalar dos Estivadores

Saúde libera R$ 54 milhões para custeio do Complexo Hospitalar dos Estivadores

Valor é 22% superior que a base mensal paga em 2018; Governo do Estado fará o pagamento retroativo das parcelas de janeiro e fevereiro

A Secretaria de Estado da Saúde vai repassar R$ 54 milhões para auxiliar no custeio do Complexo Hospitalar dos Estivadores, localizado no município de Santos.

O convênio, que será assinado nos próximos dias, permite a continuidade da assistência ofertada peloHospital dos Estivadores para a Baixada Santista, garantindo atendimento à população. O convênio será pago em 12 parcelas de R$ 4,5 milhões, com pagamento retroativo referente aos meses de janeiro e fevereiro. O valor é 22% superior à base mensal paga em 2018.

Somente para as obras do novo hospital, o Governo do Estado já havia investido R$ 25 milhões, por meio de repasses feitos pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Em 2018, os recursos destinados pelo Estado para a unidade hospitalar chegaram a R$ 47,2 milhões, somando investimentos e repasse para custeio.

“O Governo do Estado vem realizando constantes investimentos na Baixada Santista, visando ampliar os serviços de saúde instalados na região, a fim de agilizar o acesso e melhorar à qualidade dos atendimentos prestados à população usuária do SUS. Após as análises técnicas, verificamos a possibilidade de aumentar os repasses mensais para o hospital, respeitando o orçamento da pasta”, afirma José Henrique Germann Ferreira, Secretário de Estado da Saúde de São Paulo.

Além dos recursos destinados ao ‘Estivadores’ de Santos, o Governo do Estado também atua para fortalecer a assistência regional, investindo e custeando equipamentos próprios como os hospitais Guilherme Álvaro, Regional de Itanhaém e Emílio Ribas do Guarujá, bem como os AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) de Santos, Praia Grande e São Vicente, além do PAI de Santos. Por meio de convênios, a pasta destinou, em 2018, R$ 154,8 milhões em auxílios financeiros voluntários a hospitais filantrópicos e Santas Casas da Baixada.

COMENTÁRIOS