Saúde realiza testagem de HIV no Brás e entra “Na Onda da Prevenção” durante o Carnaval de SP

Saúde realiza testagem de HIV no Brás e entra “Na Onda da Prevenção” durante o Carnaval de SP

Campanha preventiva a DSTs/Aids será realizada entre os dias 22 e 25 de fevereiro; durante os dias de festa, também serão ofertados aos foliões 400 testes rápidos para detecção de HIV

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, por meio do Centro de Referência DST/Aids (CRT-Aids) e uma parceria com a FecomercioSP, participa da folia de Carnaval por meio de uma série de ações que integram a campanha “Na Onda da Prevenção”. No período, serão distribuídas cerca de 150 mil camisinhas, além de abanadores com dicas de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis.

Entre os dias 22 e 23 de fevereiro, “a onda da prevenção” segue para a estação Brás, onde, das 9h às 16h, fora a entrega de camisinhas, serão ofertados 400 testes rápidos para detecção de HIV aos transeuntes do local.

Ainda no dia 22 de fevereiro, “o bloco da saúde” entra em campo na Arena Corinthians, durante o jogo Corinthians X Palmeiras. Ao todo, 45 mil camisinhas serão distribuídas aos torcedores e vídeos de orientações exibidos nos telões antes e no intervalo da partida.

Na sexta e sábado de Carnaval, dias 24 e 25 de fevereiro, o fechamento da campanha acontece no Sambódromo do Anhembi, durante o desfile das escolas de samba do grupo especial de São Paulo, onde também haverá distribuição de camisinhas e orientações sobre DSTs ao público presente.

Público jovem é alvo da campanha

NaOndaDaPrevenção

Levantamento do Centro de Referência e Treinamento (CRT) DST/Aids-SP mostra que embora os casos de Aids estejam diminuindo, a detecção das novas infecções pelo HIV cresceu seis vezes, nos últimos dez anos, entre jovens gays em SP. A taxa anual de detecção de novas infecções, em 2015, foi de 17,2 por 100 mil habitantes, contra 9,1 em 2006, considerando ambos os sexos. O aumento é muito maior entre os homens (de 11,5 para 28,4) em comparação às mulheres (de 6,7 para 7,3). Nesse período, houve um aumento de 121% nas novas infecções pelo HIV entre homens fazem sexo com homens.

No período, houve um aumento de 121% de positividade para HIV entre homens que se relacionam com homens, e de 28% entre heterossexuais.

Atualmente, a maior taxa de detecção entre os homens ocorre entre jovens de 20 a 24 anos, com 79,4 casos por 100 mil habitantes, em 2015. Já o público feminino compreende, majoritariamente, a faixa de 30 a 39 anos, com taxa de 13,6 casos por 100 mil habitantes, no mesmo ano.

COMENTÁRIOS