Se liga nessas dicas para não errar ao comprar seu óculos

Se liga nessas dicas para não errar ao comprar seu óculos

Quem usa óculos sabe que comprar um produto que seja bom e ainda agrade visualmente não é uma tarefa fácil. É preciso estar atento à qualidade e ao preço. Para ajudar o consumidor, o Procon-SP preparou algumas dicas. Confira:

Óculos escuros

Os óculos escuros são muito requisitados pelos consumidores que querem proteger seus olhos dos raios solares. Mas é importante lembrar que a escolha não deve ser baseada somente na estética e no preço mais em conta.

É imprescindível que as lentes possuam filtro contra os raios ultravioleta, isso porque ao colocar os óculos escuros a pupila se dilata pelo escurecimento do campo visual e a ausência do filtro poderá acarretar em problemas para a saúde dos olhos.

Antes de comprar esse tipo de produto, é importante consultar um oftalmologista que dará diagnóstico e receita específicos para cada caso. Escolher a ótica para avaliar a receita, também, é um fator de grande importância. Faça pesquisa comparando preços e condições de pagamento.

Uma das doenças que podem ser provocadas pela exposição aos raios solares UVA e UVB chama-se pterígio. De acordo com Mariana Eleonora Pereira Cunial, oftalmologista do Hospital de Transplantes, trata-se do crescimento de uma espécie de membrana que cobre os olhos, estendendo-se da parte branca até a córnea. “Existem diversos fatores que provocam a doença, mas estudos mostram maior prevalência de pterígio em indivíduos expostos à radiação ultravioleta e que trabalham ao sol. Apesar de ser uma lesão benigna, é também potencialmente causadora de cegueira, uma vez que seu crescimento pode obstruir a pupila, impedindo a visão”, explica.

Por isso, é importante evitar a compra de produtos no comércio informal, pois não é possível conhecer a procedência e o uso de óculos sem a devida recomendação médica pode causar danos a sua visão. O estudante Hudson Marques conta que não sabia da importância das lentes e não comprava produtos certificados.

“Eu sempre escolhia o que era mais bonito, não pensava que estaria prejudicando a visão. Conversei com o meu médico e ele me explicou a importância de ter um óculos de sol que realmente protegesse a minha visão”, afirma.

Óculos convencionais

As mesmas recomendações servem para os óculos convencionais. A compra de óculos prontos, conhecidos como “óculos para leitura”, não é recomendável, pois são produtos padronizados e a não especificação das características da pessoa que utiliza pode agravar ou acarretar problemas de visão.

Se o serviço não estiver compatível ao contratado e/ou acarretar problemas, o consumidor poderá exigir sua reexecução, sem custo adicional; a restituição da quantia paga, atualizada monetariamente ou o abatimento proporcional do preço. É importante sempre pedir a nota fiscal.

Após a confecção dos óculos ou lentes de contato, é recomendável levar o produto para o oftalmologista conferir se está tudo de acordo com a receita. A dona de casa Fátima Aparecida Saturnino conta que sempre que troca de óculos leva o novo para o especialista.

“Quando o meu grau altera e eu preciso de lentes novas eu procuro uma loja de confiança, geralmente sempre a mesma. Mesmo assim, eu levo os óculos para que meu médico confirme que estou usando tudo certo”, explica.

Venda casada

A oferta, por parte da ótica, de consulta gratuita ou com desconto na compra de óculos de sol/grau é venda casada e é proibida pelo Código Defesa do Consumidor.

A conduta também é vedada pelo Código de Ética do Conselho Federal de Medicina, que proíbe qualquer relação entre estabelecimentos de ótica e os médicos oftalmologistas. Neste caso, o médico poderá ter punições que vão desde uma infração ética até a cassação do exercício da função.

A recomendação é que o consumidor denuncie as óticas que adotem tais prática nos canais de atendimento do Procon mais próximo.

COMENTÁRIOS