SP e clubes de futebol se unem em campanha de doação de medula óssea

SP e clubes de futebol se unem em campanha de doação de medula óssea

A Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com o Sport Club Corinthians Paulista, realiza no próximo sábado, dia 2 de setembro, das 10h às 17h, a primeira coleta de sanguepara a campanha #90minutos pela vida, que visa à conscientização quanto à importância da atualização do banco de doadores de medula óssea. Até o final do ano, atividades similares serão realizadas com apoio do São Paulo Futebol Clube e Santos Futebol Clube.

A captação deste sábado será realizada em conjunto com a ação Sangue Corinthiano, campanha permanente do clube que estimula torcedores a doarem sangue. O evento marca o aniversário de 107 anos do clube, e será realizado no Memorial Corinthians, na Rua São Jorge, 777. Há limite de vagas e é necessária a inscrição pelo site corinthians.doandosange.com.br. A captação de sangue é de aproximadamente 400 ml por pessoa para bolsas as destinadas a suprir os bancos que abastecem os serviços transfusionais da rede. A expectativa é reunir 200 candidatos.

Nesta ocasião, os interessados também poderão doar outros 5ml, uma amostra para o banco de doadores de medula óssea. A orientação para o cadastro será feita pela equipe do Hemocentro de Ribeirão Preto.

Cumprindo os requisitos, a amostra é encaminhada para o REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea), vinculado ao INCA (Instituto Nacional de Câncer). Quando algum paciente precisa do transplante de medula, esse registro é consultado e indica doadores compatíveis, que são consultados sobre a possibilidade de doação.

Para ser um doador de medula óssea, é necessário ter entre 18 e 55 anos de idade, estar em bom estado de saúde, não possuir nenhuma doença infecciosa, incapacitante, imunossupressora, sanguínea ou câncer. Algumas complicações não são impeditivas e cada caso é analisado individualmente. No Estado de São Paulo, a coleta e o cadastro podem ser feitas em hospitais e hemocentros da rede pública de saúde.

“Temos feito diversas parcerias com clubes, nos últimos anos, para alertar a população sobre temas importantes como a doação de sangue a e a prevenção do câncer de mama. Agora, nosso objetivo é despertar a conscientização sobre a importância da atualização cadastral da lista de doadores de medula óssea, uma vez que o transplante é essencial para salvar a vida de pessoas que necessitam de tratamento para doenças que afetam o sangue, como a leucemia, por exemplo”, explica o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

Segundo o REDOME, o transplante pode ajudar no tratamento de cerca de 80 doenças em diferentes estágios e faixas etárias.

 

DoeMedula_postredessociais

COMENTÁRIOS