SP inicia semana de combate ao Aedes aegypti com ações nos parques estaduais

SP inicia semana de combate ao Aedes aegypti com ações nos parques estaduais

Ação de combate e conscientização acontecerá simultaneamente em 12 parques estaduais da Grande SP com varredura para eliminar criadouros do mosquito e distribuição de panfletos

 

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e a Secretaria de Meio Ambiente iniciam neste domingo, 31 de janeiro, a partir das 10h no Parque Vila Lobos, uma série de ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A ação acontecerá simultaneamente em 12 parques estaduais da Grande São Paulo: Villa-Lobos, Jequitibá, Juventude, Água Branca, Belém, Pomar Urbano, Alberto Löfgren, Candido Portinari e Guarapiranga, em São Paulo, Gabriel Chucre, em Carapicuíba e Chácara da Baronesa, em Santo André.

Será o início da campanha de alerta para a necessidade de se fazer um combate sem trégua ao mosquito transmissor das arboviroses. Monitores treinados pela Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) farão uma varredura nos parques para eliminar possíveis criadouros do mosquito e serão distribuídos panfletos com orientações de como a população pode contribuir para erradicar essas doenças.

No Vila Lobos a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), estará presente com uma unidade móvel de laboratório para análise de águas, fazendo demonstrações sobre o mosquito. O secretário da Saúde, David Uip, o secretário-chefe da Casa Militar e coordenador de Defesa Civil, Cel. José Roberto de Oliveira e a secretária estadual do Meio Ambiente, Patrícia Iglecias também participam da ação.

Entre ontem (sábado) e hoje ocorre um grande mutirão da campanha paulista “Todos Juntos Contra o Aedes aegypti”, com a participação de cerca de 250 cidades e mobilização de 15 mil profissionais estaduais, municipais e cidadãos.

Entre as ações, programadas pela Sala de Comando e Controle Estadual das Arboviroses, está a varredura de focos do mosquito em imóveis públicos, privados e baldios, com eliminação de criadouros, remoção mecânica, tratamento químico (quando necessário), bem como a difusão de orientações à população. Além disso, os oficiais do Exército também auxiliarão, durante a semana, municípios considerados prioritários, do ponto de vista epidemiológico.

“Organizamos essa grande mobilização, com apoio de municípios e cidadãos, porque apenas com um esforço conjunto e concentrado poderemos combater o Aedes aegypti, com a finalidade de proteger a população contra a dengue, zika e chikungunya. Contamos também com apoio dos paulistas para que prossigam com a eliminação dos criadouros em suas residências, e nos auxiliem, por meio do novo site, a identificar locais que necessitam da intervenção da nossa força-tarefa, composta por agentes da Sucen, PMs e oficiais do Exército”, destaca o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

 

Mapa interativo

 

Amanhã, 1º de fevereiro também será lançado um site onde a população poderá denunciar focos de criadouros do mosquito aedes aegypti. Trata-se de um mapa interativo que permitirá que a população colabore com o poder público no combate ao Aedes aegypti, indicando pontos em que há evidências da presença do mosquito.

As denúncias serão direcionadas aos gestores das 645 cidades paulistas para que os municípios providenciem ações de eliminação e bloqueio de criadouros nesses locais. Os registros também serão acompanhados por agentes da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) e pela Sala de Comando e Controle Estadual das Arboviroses, criada em 2015 para monitorar a presença do Aedes aegypti no Estado e a evolução dos casos de doenças transmitidas pelo mosquito.

O site também permitirá o acesso a videoaulas com orientações e instruções relacionadas ao mosquito transmissor, à prevenção e proteção contra as doenças transmitidas pelo Aedes. Além disso, estarão disponíveis materiais informativos da campanha “Todos Juntos Contra o Aedes aegypti”, como banners e cartazes.

A ferramenta estará disponível no site da Secretaria: http://www.saude.sp.gov.br/.

COMENTÁRIOS