SP monitora 1º caso suspeito de coronavírus no interior e descarta caso infantil

SP monitora 1º caso suspeito de coronavírus no interior e descarta caso infantil

A Secretaria de Estado da Saúde de SP está monitorando três casos suspeitos de Coronavírus, sendo dois na Capital e um em Paulínia, cidade localizada na região de Campinas. Os números são dados oficiais registrados pelos municípios em um sistema de informação do Ministério da Saúde.

São dois adultos e uma criança que estão bem, estáveis e recebendo cuidados em casa em isolamento domiciliar, ou seja, com restrição de contatos com pessoas e ambientes externos. O primeiro caso suspeito notificado do interior do Estado de São Paulo é um adulto, 45 anos, de Paulínia.

O paciente esteve na China e após desembarcar no Brasil apresentou febre, tosse, coriza e dificuldades para respirar. Foi atendido em serviço privado, onde foram colhidas amostras para análise laboratorial, e o paciente foi liberado com indicação de isolamento domiciliar.

Os casos suspeitos da Capital são um menino de seis anos, que apresentou febre e tosse, com histórico de retorno da China no dia 19, e um homem de 33 anos, que retornou da China no dia 20 de janeiro. Este apresentou febre, tosse e dor de garganta e foi atendido em um hospital privado da capital.

Nesta quinta-feira (30), foi descartado o caso da menina de 4 anos, já que os resultados dos exames apresentaram positividade para Influenza (gripe).

Os familiares dos pacientes estão orientados com relação às medidas necessárias para se prevenirem, como uso de máscaras, higienização das mãos e não compartilhamento de objetos de uso pessoal, bem como sobre os cuidados requeridos para os pacientes, que incluem hidratação e a permanência em casa, sem circulação por outros locais e evitando contato com familiares e amigos, por exemplo.

Monitoramento

A investigação dos casos é realizada pelas secretarias municipais de saúde, com todo apoio técnico da pasta estadual. As amostras biológicas dos pacientes foram colhidas pelo hospital onde foram atendidas e já foram para análise no Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência nacional localizado em SP. Os resultados, assim como eventuais novos casos suspeitos ou confirmados, serão divulgados em boletins atualizados diariamente pela Secretaria.

“Os profissionais de saúde que atuam em SP estão orientados sobre esse novo vírus e a importância de nos informar rapidamente sobre qualquer caso suspeito. Nossa rede de saúde conta com serviços de referência na área de Infectologia e está preparada para atender pacientes que se enquadrem nos critérios clínicos e epidemiológicos. Seguiremos vigilantes, orientando serviços, organizações públicas e privadas, veículos de comunicação e a sociedade civil, prezando pela agilidade e transparência”, afirma o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

Até o momento, não há caso confirmado de coronavírus nem em São Paulo, nem no Brasil. Ainda assim, de modo geral, é importante seguir os mesmos cuidados previstos na “etiqueta respiratória” adotada com relação à gripe: cobrir a boca ao tossir ou espirrar, lavar as mãos frequentemente, não compartilhar objetos de uso pessoal, limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado (confira abaixo outras recomendações).

É fundamental procurar o serviço de saúde mais próximo se a pessoa apresentar sintomas como febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza, associados aos seguintes aspectos epidemiológicos: histórico de viagem em área com circulação do vírus (consulte os sites indicados ao final do texto), contato próximo caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para coronavírus.

“Nosso papel é orientar e tranquilizar a todos. Não há motivo para panico. O monitoramento está em curso, com organismos internacionais e nacionais de saúde, e nossas equipes acompanharão o tema ininterruptamente para que possamos dar respostas rápidas e efetivas quando necessário”, diz a diretora da Vigilância Epidemiológica, Helena Sato.

Dicas de prevenção:

– Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
– Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
– Não compartilhar objetos de uso pessoal;
– Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
– Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
– Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
– Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

Outras informações:

SP: http://www.saude.sp.gov.br/coordenadoria-de-controle-de-doencas/
Brasil: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/novocoronavirus
Mundo: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/situation-reports

COMENTÁRIOS