SP realiza I Encontro Estadual Juventudes e HIV/Aids

SP realiza I Encontro Estadual Juventudes e HIV/Aids

 

A Coordenação Estadual do Programa IST/Aids (Infecções Sexualmente Transmissíveis) de São Paulo irá realizar o I Encontro Estadual Juventudes e HIV/Aids, nos dias  1 e 2 de setembro, com objetivo de discutir a garantia do direito à saúde, o fim do preconceito, a promoção da participação juvenil e a humanização nos serviços de saúde, como elementos importantes para a prevenção.

O evento no Hotel Dan Inn Palace, localizado na Avenida Casper Líbero, 115, centro da capital. A proposta é abordar aspectos de prevenção positiva para jovens vivendo com HIV e prevenção combinada para os casais sorodiferentes. A programação envolve painéis, mesas de conversa, teatro, sarau e outras atividades (confira nos anexos).

Está prevista a participação de cinquenta jovens vivendo com HIV/Aids, reunindo atuantes da RJSP+ (Rede de Jovens São Paulo Positivo), pessoas que participaram do Seminário “Transmissão Vertical” realizado em 2018 e indicados pelas ONGs do município de SP e de outras 13 cidades paulistas – Campinas , Carapicuíba, Itaquaquecetuba, Guarulhos, Santos, São Vicente , Jundiaí , Sorocaba , São José dos Campos , Taubaté , Presidente Prudente, São José do Rio Preto e Tanabi).

Foram utilizados como critérios de inscrições as cidades que se classificam como metrópoles, possuem algum jovem inscrito indicado pela RJSP+ e pelo Fórum de ONG Aids, e profissionais de saúde de Hospitais Universitários que ajudaram na construção da atenção integral à saúde de crianças, adolescentes e jovens vivendo com HIV/Aids.
Participam da comissão organizadora o CRT DST/Aids, Instituto de Infectologia Emilio Ribas, Ceadipe-UNIFESP, SEAP – FMUSP HC,  Programa Municipal de IST/Aids de São Paulo, RJSP+, Fórum de Ongs Aids (representado pelo GT Adolescência e Juventude), APPA, GIV, Fundação Poder Jovem e Anima , AACPHIV.

No componente Comunicação participam as ONG Comunicação em Sexualidade – ECOS e Viração Educomunicação.

São apoiadores da iniciativa o Departamento de Doenças Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde, programa estadual da Saúde do Adolescente do Estado de São Paulo, Coordenação de Políticas para Juventude – SMDHC da capital, Unaids, Unfpa, Unicef, Unesco, RNP e CONDEPE.

COMENTÁRIOS