SP repassa R$ 5,2 milhões à Santa Casa de Barretos

SP repassa R$ 5,2 milhões à Santa Casa de Barretos

O Governador em exercício, Rodrigo Garcia, e o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira, assinaram nesta quinta-feira (16) convênio para o repasse de R$ 5,2 milhões à Santa Casa de Barretos. Na ocasião, Rodrigo também assinou a transferência da gestão e operação do Aeroporto Chafei Amsei da Prefeitura de Barretos para o Estado.

“O recurso destinado à Santa Casa, da ordem de mais de R$ 5 milhões, ajudará no custeio e na redução do déficit, tendo em vista que o hospital vem crescendo no seu atendimento”, disse o Governador em exercício.

Os recursos serão destinados à entidade a fim de auxiliar no custeio e no aprimoramento do atendimento ofertado aos pacientes atendidos pela unidade. Este novo convênio de 2019 será pago em oito parcelas de R$ 657 mil até o final deste ano. O valor foi reprogramado pela pasta para incluir pagamento de parcelas retroativas a janeiro de 2019.

O Governo do Estado auxilia continuamente a entidade. Em 2018, os repasses para a unidade hospitalar chegaram a R$ 8,1 milhões.

Outras ações

O Governo também apoia o Hospital do Amor, de Barretos, e repassou mais de R$ 47,5 milhões no ano passado à unidade. Apoia ainda outras entidades filantrópicas e Santas Casas conveniadas ao SUS, que receberam, juntas, R$ 72,9 milhões em 2018.

A Secretaria mantém dois AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) em Barretos, sendo um cirúrgico e um geral. Juntos, eles realizaram, em 2018, mais de 91 mil consultas médicas e não médicas, 22 mil exames e 10,6 mil procedimentos cirúrgicos.

Aeroporto

Também nesta quinta, o Governador em exercício assinou a transferência da gestão e operação do Aeroporto Chafei Amsei da Prefeitura de Barretos para o Estado. O convênio será celebrado entre a SNAC (Secretaria Nacional da Aviação Civil) e o Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo).

“O retorno do aeroporto para administração do Estado acontece em conjunto com outras ações, como a redução do querosene da aviação, o que implica na oferta de mais voos para o interior de São Paulo. Ao reassumir o aeroporto, o Estado realizará intervenções rápidas de adequação para então conceder para a iniciativa privada”, explicou Rodrigo.

O aeroporto, que hoje tem foco na aviação geral (executiva e táxi aéreo), foi administrado pelo Daesp de 1978 até 2012. Há sete anos, a pedido, a Prefeitura de Barretos ficou responsável pela administração e manutenção do local.

O aeroporto é importante para pacientes que buscam tratamento no Hospital de Amor, além de alavancar agronegócio e turismo. Ele será incluído no programa de privatização do Governo e fará parte de estudos de viabilidade técnica e econômica que irão definir o melhor modelo de desestatização dos aeroportos administrados pelo Daesp.

COMENTÁRIOS