Terceira fase da vacinação contra a gripe começa nesta quarta

Terceira fase da vacinação contra a gripe começa nesta quarta

Começa nesta quarta-feira (09), a terceira fase da campanha de vacinação contra a gripe começa em todo o estado de São Paulo com a imunização de um novo grupo prioritário. Os portadores de doenças crônicas, como cardiopatias, diabetes, HIV positivo e imunodeprimidos, e outras comorbidades, e professores da rede pública ou privada podem se vacinar.

 expectativa é vacinar, até 1º de junho, 10,7 milhões de paulistas contra o vírus Influenza, o que corresponde à meta de 90% da população-alvo definida para a campanha. A partir da quarta-feira, dia 9 de maio, a vacinação se estende para professores e pacientes com doenças crônicas, como asma, diabetes, doenças imunossupressoras e outras.

Até o dia 3 de abril, foram imunizadas 1,5 milhões de idosos, ou seja, pessoas com idade de 60 anos, 266 mil trabalhadores de saúde e 2,3 mil indígenas, grupos que iniciaram a vacinação naetapa 1, em 23 de abril. Desde a etapa 2,  que teve início na última quarta-feira, dia 2 de maio, já foram vacinadas 83 mil crianças com idade maior que 9 meses e menor que 5 anos, 32 mil gestantes e 8,7 mil puérperas.

“É importante lembrar que a vacinação continua para os grupos que que tiveram a imunização iniciada nas etapas 1 e 2; portanto, tanto esses grupos quanto os novos públicos podem e devem comparecer aos postos”, afirma a diretora de Imunização da Secretaria, Helena Sato. “A vacina não provoca gripe em quem tomar a dose, já que é composta apenas de fragmentos do vírus que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença”, explica.

Segundo recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde), a vacina de 2018 irá prevenir a população alvo contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A  (H3N2) e B. “Assim que foi anunciada a campanha na TV, eu fui correndo para o posto de saúde para imunizar meu pai que tem 72 anos”, explica advoga Mirian Leite.

A vacina é a principal forma de prevenir à doença. “Aumentar as coberturas vacinais é fundamental para que possamos reforçar à proteção e, por isso, solicitamos aos que ainda não se vacinaram que compareçam aos postos de vacinação”, afirma Marcos Boulos, Coordenador de Controle de Doenças do Estado de São Paulo.

O advogado rural, João Batista de Lima, é diabético há 30 anos e nunca deixou de tomar a vacina. “Sou diabético desde 1987, e sempre fico atento com a liberação da vacina para meu grupo de risco. Todo ano, venho no primeiro dia”.

COMENTÁRIOS