TPM não é frescura e pode ter 200 reações diferentes

TPM não é frescura e pode ter 200 reações diferentes

Só quem convive com os sintomas da Tensão Pré Menstrual (TPM), sabe como é incômodo. São mais de 200 reações diferentes, desde dor nas mamas até quadros bem dolorosos acompanhados de alteração de humor, variando de mulher para mulher o grau de intensidade.

Em alguns casos mais graves, pode prejudicar as atividades do dia a dia, com a necessidade de se ausentar no trabalho, dificuldade na tomada de decisões de cunho pessoal ou agressividade com pessoas próximas.

Para o professor José Maria Soares Junior, supervisor do Setor de Endocrinologia Ginecológica e Climatério da Faculdade de Medicina da USP, a TPM é uma alteração patológica do corpo que pode comprometer os círculos de relacionamentos pessoais e profissionais. “A TPM não é uma frescura. Ela tem uma gama de sintomas, que podem variar entre psíquicos, comportamentais e físicos”, explica. “Entre os tratamentos podemos dividir entre duas partes: não farmacológica, mudando o estilo de vida da paciente, principalmente em hábitos alimentares, aumento de atividade física e diminuição do stress diário; e a farmacológica,  em que, geralmente, é usada a pílula anticoncepcional”

Em TPMs mais leves, exercícios físicos ajudam a aliviar as sensações de dor e ansiedade. Já nos casos graves, o uso de pílula anticoncepcional pode ajudar no alívio dos sintomas. Para tanto, é necessário consultar um médico para avaliação completa. Os tratamentos vão desde alteração dos hábitos de vida até medicamentos psicoativos.

É importante se atentar à alimentação. Estudos mostram que pacientes com deficiência de alimentos ricos em cálcio ou frutas e legumes também podem ter piora na TPM. Por isso, uma dieta equilibrada pode diminuir os sintomas.

“Por ajudar a modular os níveis de estrogênio, que é um hormônio feminino, os alimentos ricos em fibra, como nozes, frutas e cereais integrais também auxiliam a minimizar os sintomas da TPM. Alimentos ricos em triptofano, como feijão, carnes, peixes, ovos e ervilha, por exemplo, aumentam a serotonina, substância responsável pela sensação de bem-estar”, diz Lara Natacci, nutricionista do Programa Meu Prato Saudável, parceria do Instituto do Coração (InCor) com a LetinMed Editora em Saúde.

COMENTÁRIOS