#Verão: aparelhos de ventilação exigem cuidados de limpeza

#Verão: aparelhos de ventilação exigem cuidados de limpeza

Neste calor, a jornalista Isabel Delalamo não consegue trabalhar sem um ventilador ou um ar condicionado ligados ao lado. As altas temperaturas da cidade, de fato, exigem uma ajuda extra para se refrescar. No entanto, é preciso estar atento para alguns cuidados a ser tomados com o uso de eletrodomésticos de ventilação.

“O único cuidado especial o uso dos ventiladores é manter pás e grades sempre limpas, preferencialmente com pano úmido. Caso contrário, toda a poeira acumulada será lançada no local”, explica o pneumologista Fábio Pereira Muchão.

A inalação de poeira e ácaros é prejudicial a todas as pessoas, sobretudo aos que sofrem com crises alérgicas de rinite e asma. Em relação ao ar condicionado, o especialista recomenda que seja regulado numa temperatura equivalente ou próxima à do meio externo – 23 graus Celsius são suficientes para proporcionar sensação mais amena. Para evitar a propagação de fungos, bactérias e poeira, é fundamental efetuar sua higienização e a troca periódica dos filtros.

Como o uso desse tipo de aparelho pode ressecar o ar ambiente, Muchão sugere o uso moderado de umidificadores ou a distribuição de recipientes com água pelos cômodos. “Esses recursos contribuem para melhorar a umidade relativa do ar em dias mais secos. Entretanto, os umidificadores não devem permanecer ligados por períodos prolongados. Em quartos, por exemplo, o período médio deve ser de 2 horas, no início da noite”, adverte.

As vias aéreas podem ficar irritadas e causar transtornos respiratórios, especialmente nas crianças, idosos e portadores de doenças pulmonares crônicas, como bronquite e enfisema.

Ainda segundo o pneumologista, climatizadores são outra opção para reduzir a possibilidade desconforto e, além disso, contribuem para maior economia de energia elétrica em comparação ao consumo de outros eletrodomésticos. “Esses aparelhos também devem ser mantidos higienizados e com água limpa nos reservatórios”, finaliza o médico.

 

COMENTÁRIOS